Empreendedorismo: Rota de fuga dos “disponíveis” no mercado ou oportunidade?

Diante do atual cenário econômico desfavorável e da economia doméstica estagnada, os dirigentes das empresas estão diante de um duplo desafio, para não dizer um grande impasse.
De um lado, os gestores lutam pelo desenvolvimento das empresas e buscam mantê-las presentes no mercado que é extremamente competitivo e sabem que precisam de investimentos em tecnologia, processos mais eficazes e de profissionais capacitados.
Por outro lado, a queda de faturamento e das margens de contribuição de seus produtos e serviços em função do ambiente recessivo indicam um alerta para a saúde financeira em médio prazo da empresa, outras ainda mais debilitadas, até em curto prazo.
A saída emergencial, mesmo que dolorida, é o corte dos custos fixos, e nesse item estão incluídos os funcionários e demais passivos.
Muitas pessoas que passam por essa situação de dispensa, sentem-se obrigados a buscar uma saída, uma alternativa que garanta a receita e a sobrevivência da família no cumprimento de suas obrigações, e de dívidas já contratadas como prestações/parcelas de bens e serviços.
Percebe-se, no entanto, que o tema empreendedorismo volta aos noticiários com um grau maior de interesse pela população. Ser empreendedor apresenta-se como a solução para os momentos difíceis. Todos querem ser patrão ao invés de empregado. Uma orientação é importante nesse momento a estes desejosos empreendedores.
Nada substitui uma boa preparação e planejamento.
Uma visão empreendedora está associada a pessoas comprometidas com um sonho, capacidade de desenvolver estratégias e inovações que garantam resultados favoráveis, crescimento e perpetuação do seu novo negócio no mercado. É importante que a pessoa interessada em abrir um negócio próprio desenvolva competências empreendedoras e não tenha vergonha de perguntar, investigar e pesquisar tudo o que puder: informações, índices, concorrentes, fornecedores entre outros elementos sobre o mercado pretendido.
Os bons negócios surgem das oportunidades observadas para atender necessidades ainda não satisfeitas de consumidores e de empresas.
Por isso, é importante ter paciência para primeiro entender e buscar diferenciais que deem a sua empresa, recém-criada, a preferência dos consumidores até tornarem-se seus clientes.
Antes de fazer empréstimos bancários e/ou com amigos a melhor alternativa é escrever um plano para o seu negócio que entre outras vantagens, indicará a você se o negócio que pretende empreender é uma armadilha ou a solução para a sua vida.

Prof. Ms. Luiz Fernando Milani, Professor em Gestão de Negócios, Empreendedorismo e Marketing é o Coordenador do Projeto USCS Empreender na Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!